quarta-feira, 23 de julho de 2014

COMUNICADO KPC

Comunicamos aos amigos e leitores deste blog que interagem conosco pelos endereços eletrônicos cabarros157pensador@hotmail.com ou kardecpontocom@outlook.com  que deixamos de usá-los definitivamente. Não enviem recados, notas, informações, imagens ou fotografias para estes e-mails.
Utilizem os nossos e-mails do GMail: jornalista1938fenaj@gmail.com ou carmempensadora@gmail.com.

Gratos pela atenção dispensada.
CARMEM/CARLOS BARROS
Divulgadores Espíritas

sábado, 19 de julho de 2014

CLUBE DO LIVRO ESPÍRITA DE CURITIBA

Este CLE é um dos departamentos de divulgação da Associação de Divulgadores do Espiritismo do Paraná (ADE-PR). Este mês está com uma promoção especial para novos associados.
Fazendo a sua adesão hoje, sem taxa de inscrição, você participa da promoção PAGUE TRÊS, LEVE QUATRO". Ou seja, entrando agora para o CLE Curitiba, você paga apenas o valor de uma semestralidade e ganha de brinde o primeiro livro da renovação.
Gostou da oferta? Então envie seu pedido de inscrição para o seguinte endereço eletrônico: adepr@adepr.org.br.

ADE-PR/Divulgação

terça-feira, 15 de julho de 2014

IMPRESSOS GRATUITOS PARA DIVULGAÇÃO

O nosso correspondente na acolhedora cidade de Juiz de Fora (MG), Renato Velloso, está à procura de editores e instituições espíritas que possam doar jornais, revistas e boletins informativos (distribuição gratuita) para ele.
Se ele procurar direitinho, vai achar uma lista de nomes e endereços de parceiros nossos neste blog. Uma dica, Velloso: a lista está na coluna à esquerda da página central deste blog. Confira, por favor.


CARLOS BARROS
editor e redator de KPC

O QUE ESTÃO FAZENDO COM A DIVULGAÇÃO ESPÍRITA?

Extraí trechos de artigo assinado por Ivan Franzolin (escritor e comunicador, além de fundador da Associação de Divulgadores do Espiritismo de São Paulo) - "Conhecer o que crê, saber por que crê", na seção Análise, do excelente jornal CORREIO FRATERNO, edição maio/junho deste ano.
Ele escreveu algo que muita gente não está percebendo ou está fazendo de conta que está tudo bem.


Confira textualmente o que escreveu o atento comunicador espírita paulista:


"Os comunicadores espíritas, as Federativas e os Centros têm responsabilidade nessa baixa compreensão da Doutrina Espírita. Que Espiritismo estamos divulgando? Relaciono alguns tipos de comunicação incorreta que tenho observado.
Espiritismo Pessoal - aquele que destaca mais as opiniões do expositor, dirigente ou do mentor da casa.
Espiritismo Alarmista - que enaltece o poder das trevas e a inferioridade moral dos espíritas.
Espiritismo Místico - privilegiando a devoção, a contemplação, o sobrenatural.
Espiritismo superficial e Dogmático - que evidencia ideias e raciocínios pela autoridade dos autores e não pelas explicações doutrinárias corretas.
Espiritismo Deslumbrado - que insiste em dar explicações simplistas para todos os casos e situações.
Espiritismo Excessivamente Religioso - que usa linguagem piegas, não prioriza o estudo sério e se preocupa mais com o assistencialismo e o enaltecimento de Jesus".


E mais adiante ele acrescenta: "Todos os espíritas podem e devem colaborar para melhorar essa situação. A interpretação equivocada da Doutrina é um risco para sua evolução. É preciso pesquisar o nível de compreensão de alunos e frequentadores, conversar com os dirigentes do Centro, mudar e melhorar os cursos, instituir o estudo contínuo, trabalhos em grupo, produção de conteúdo e melhorar a forma como comunicamos o conhecimento espírita".


Não acredito que a Doutrina Espírita possa ficar no prejuízo por conta do desmazelo informativo de alguns divulgadores e comunicadores. Com ou sem os personalismos dos espíritas ainda um tanto equivocados com a sua essência filosófica e moral, o Espiritismo seguirá em frente isento das mazelas doutrinárias que muitos tentam misturar, como verdades inquestionáveis e complementares, às obras básicas kardequianas.


Todavia, o alerta de Franzolin deve ser levado em consideração por quem divulga e comunica a veneranda Doutrina dos Espíritos.


OPINIÃO de Saulo Aurélio Rocha,
correspondente de KPC em Recife, PE.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

UM BLOG MAIS SIMPLES

Toda mudança na vida é boa quando melhoramos nosso modo de ser, de viver e de ver o mundo. Mudar para não ter muito trabalho com coisas de pouca importância e que nos possibilite aproveitar melhor o tempo que a vida nos oferece.
Essa a razão porque optamos por um blog simples, sem tantas imagens e mais links. Um blog limpo, agradável de ler e comprometido com a exigência de nossos leitores.
Esperamos que você goste. Um abraço e vamos em frente!


CARLOS BARROS
editor e redator de KPC

quarta-feira, 9 de julho de 2014

NEM SÓ DE FUTEBOL VIVE O BRASILEIRO

Pelo que ouvi na entrevista concedida por Luiz Felipe Scolari (Felipão) para jornalistas brasileiros e do exterior, a seleção de futebol que disputou esta Copa da FIFA era "a sua seleção" e não a dos 200 milhões de torcedores que acabaram decepcionados com a humilhante goleada (7 a 1) da rubro-negra seleção alemã em cima de "nossa canarinha", abatida em campo e sem orgulho de ser pentacampeã.


O Brasil de Felipão vinha jogando um futebol medíocre desde a primeira fase. Levou muita sorte quando não caiu diante da aguerrida seleção do Chile, nas oitavas de final. Desequilibrou-se diante da Colômbia quando perdeu Neymar nas quartas de final.


Algo estava errado com a "seleção canarinha" treinada por Felipão. O sistema tático empregado pelo gaúcho turrão não oferecia nenhuma garantia de que chegaríamos à tão sonhada final no Maracanã. Isso ficou comprovado na semifinal.


O Brasil ficou vendo a seleção alemã jogar como nunca jogou em toda a sua história futebolística: com disciplina tática e envolvente técnica na arte de tocar a bola com simplicidade.


Os 200 milhões de brasileiros - particularmente aqueles que nunca viram "a sua seleção" ser campeã - choraram envergonhados e decepcionados com o Brasil de Felipão. Não era para menos. O placar mostrava quem dava show de bola na Arena Belo Horizonte, naquela fatídica tarde do dia 8 de julho.


Agora, só resta ao povo brasileiro acordar do sonho embalado pela promessa de um hexacampeonato mundial de futebol interrompido de forma humilhante.


Precisamos despertar para o pesadelo de uma inflação que não para de crescer, do desemprego que já bate às portas de milhares de famílias em todo o País.  O nosso sonho de fazer deste Brasil um País melhor para nossos filhos e netos, continuará porque o futebol não é tudo que precisamos para acabar com as suas injustiças sociais.


Uma coisa ficou evidente: o Brasil de Felipão jogou carregando nos ombros a responsabilidade de ter sob os seus pés a ordem política e social do País. Os torcedores vão às urnas, nas eleições de outubro, com o humor um pouco alterado pelo ocorrido na semifinal contra a seleção alemã.


Felipão? Vai dar o que falar por muito tempo nas rodas de discussões da crônica esportiva brasileira.


KIKO MUNIZ
Especial para KPC